You are currently viewing O Alcool mais usado em cosmética

O Alcool mais usado em cosmética

Quimicamente, os álcoois são substâncias que contêm um grupo hidroxilo (OH) ligado a um átomo de carbono saturado. A classificação dos álcoois é baseada no comprimento das suas cadeias, dependendo do número de átomos de carbono que compõem a molécula de álcool, dando origem a álcoois de cadeia curta e longa, na posição do grupo funcional (OH) e se as cadeias são ramificadas ou lineares.

O álcool mais simples é o metanol (H3C — OH), conhecido também como álcool metílico, apresenta muitas aplicações industriais e farmacêuticas. Historicamente, o metanol era preparado por destilação da madeira. Hoje em dia, é produzido essencialmente por redução catalítica do monóxido de carbono com o gás hidrogénio.

O metanol é altamente inflamável e tóxico, podendo levar a cegueira ou até a morte.

Industrialmente, é usado como solvente e como matéria-prima para a produção de formaldeído (CH2O) e ácido acético (CH3CO2H).

O etanol (H3C — CH2 — OH) é o principal álcool, sendo usado como combustível obtido principalmente por fermentação de hidratos de carbono de cereais, da cana-de-açúcar, de beterraba, milho, arroz etc. Também pode ser obtido sinteticamente a partir de derivados do petróleo.

Os álcoois de cadeia curta (entre 1 e 7 átomos de carbono, como o etanol ou o metanol) são líquidos, solúveis na água. À medida que aumenta a cadeia, tornam-se mais oleosos e tornam-se cada vez menos solúveis na água. A partir de 16 átomos de carbono são compostos sólidos. A partir de 8 átomos é que falamos de álcoois gordos.

De notar que a glicerina (glicerol) e os edulcorantes (substâncias adoçantes) classificados como polióis (sorbitol, xilitol, manitol,…) também são álcoois!

Em cosméticos, o álcool é amplamente usado uma vez que apresenta diversas funcionalidades tais como:

  • Conservante
  • Agente anti-espuma
  • Agente adstringente
  • Solvente
  • Capacidade de melhorar absorção percutânea, apontando-se como principal mecanismo a extração de lípidos intercelulares do estrato córneo.
  • Capacidade de diminuir a viscosidade
  • Agente volátil, é frequentemente usado em produtos capilares pois seca rapidamente após sua aplicação. Também é muito usado em after-shaves e desodorizantes pela sensação de frescura.

Podemos encontrar o etanol em cremes faciais, corporais, nos tónicos, champôs, amaciadores, pastas dentífricas,…A concentração pode chegar a 10-12% na fase aquosa nas emulsões, e até 20% em tónicos.

Na rotulagem dos produtos cosméticos, os álcoois existentes devem figurar em conformidade com a denominação INCI (International Nomenclature Cosmetic Ingredient)

INGREDIENTES NOME INCI
Metanol Methyl alcohol
Álcool etílico Alcohol
Álcool benzílico Benzyl alcohol
Álcool cetílico Cetyl alcohol
Álcool desnaturado Alcohol denat.

Para evitar que o álcool etílico, em um cosmético, seja ilegalmente utilizado como uma bebida alcoólica o mesmo pode ser “desnaturado”, através da adição de um ou mais agentes desnaturantes, tornando-o impróprio para consumo.

O álcool etílico desnaturado pode aparecer na lista de ingredientes de um produto cosmético com vários nomes diferentes, podendo ser abreviado como “SD Alcohol” que significa “álcool especialmente desnaturado”. O álcool pode ainda ser completamente desnaturado “CD alcohol”).

O termo “Alcohol Denat.” foi introduzido na Europa como um termo genérico para o álcool desnaturado na intenção de harmonizar internacionalmente nomes de ingredientes cosméticos.

De forma a uniformizar a desnaturação do álcool, a Comissão Europeia estabeleceu um novo regulamento de execução (UE) 2016/1867 de 20 de Outubro de 2016 para haver um único processo de desnaturação comum utilizado em todos os Estados-Membros.

Este processo inclui o uso dos seguintes agentes desnaturantes:

– Álcool isopropílico

– Metilacetona

– Benzoato de denatónio

Relativamente aos álcoois gordos, de origem vegetal ou derivados do petróleo, são compostos que trazem vários benefícios à pele. Em função da natureza do álcool usado, pode apresentar uma ação emoliente, proteção/hidratação da pele, agente estabilizante nas emulsões, melhorar a qualidade de espumas ou controlar a viscosidade.

Exemplos:

– Álcool cetílico (Lanette 16)

– Álcool estearílico (Lanette 18)

– Álcool cetoestearílico (Lanette O)

– Álcool oleílico

Efeitos do álcool sobre a pele

A pele pode sofrer com os contactos repetidos de produtos contendo álcool, uma vez que apresenta características irritantes e secantes logo é desaconselhado usá-lo de forma quotidiana sobretudo para peles sensíveis e/ou desidratadas.

Os efeitos indesejáveis do álcool variam consoante a percentagem de álcool na formulação. A presença de ingredientes apaziguantes e hidratantes na formulação pode contrabalançar parcialmente ou até totalmente os efeitos adversos do álcool.

O álcool é particularmente incompatível com a pele do bebé, mais fina e frágil do que a do adulto, sendo mais facilmente sujeita a irritações e desidratação. Também é mais permeável, e como tal o álcool consegue penetrar em maior profundidade a pele do bebé e em maior concentração, podendo provocar efeitos graves.

É importante notar que o efeito irritante e secante é uma resultante da sua ação desengordurante. Com efeito, a sua capacidade de dissolver os lípidos enfraquece o filme hidrolipídico (barreira protetora da pele/cabelo) e como consequência irrita e seca a pele/cabelo.

Sendo fotossensibilizante (indução de uma reação epidérmica na presença de raios UV), deve ser evitado a utilização de produtos contendo álcool antes da exposição solar

Conclusão:

Usar ou não usar produtos com álcool?

Vimos anteriormente que a presença de álcool pode trazer diversos benefícios desde a sua capacidade adstringente para uma pele oleosa, à sua capacidade de facilitar a penetração de determinado ingrediente.

No entanto o álcool também é responsável por efeitos indesejáveis, tais como a sua ação irritante e secante, e como tal é importante verificar se a formulação em si possui agentes hidratantes e/ou humectantes, para contrabalançar a presença de álcool, bem como verificar se o álcool figura nas posições iniciais da lista de ingredientes no rótulo do produto cosmético, que corresponde a maior percentagem de álcool, aconselhando-se neste caso a sua utilização em dias alternados.

De igual modo, torna-se completamente desaconselhado em produtos para bebé, peles sensíveis e reativas ou secas.

Deixe uma resposta